Início » Blog » E o Glúten, é mocinho ou vilão?

E o Glúten, é mocinho ou vilão?

Aposto que você já ouviu e participou de diversas discussões sobre o glúten, mas será que ele faz mesmo mal, engorda ou é tudo mentira?

Não sou especialista em nutrição, mas reuni algumas informações sobre a questão para te ajudar a descobrir se o glúten é o mocinho ou vilão da história! 

 

 

O que é o glúten?

 

O glúten é um tipo de proteína que pode ser encontrada nos cereais como, por exemplo, alimentos que são a base de trigo, cevada e centeio.

 

Essa proteína é responsável por deixar os alimentos mais elásticos e também mais macios. Por exemplo, o glúten permite que uma massa de pão fique elástico o suficiente para ser sovado e, ao ser assado, continuar “fofinho” por dentro.

 

Ultimamente, muitas pessoas conheceram a teoria de que os melhoramentos genéticos de trigo teriam modificado o glúten a ponto de ele fazer mal ao organismo, porém não é bem assim. Esta teoria ainda não é consenso nas pesquisas, embora haja quem a defenda veementemente. O que se sabe, por enquanto, é que o glúten realmente faz mal àqueles que possuem doença celíaca ou sensibilidade não celíaca.

 

Qual é a diferença de doença celíaca e sensibilidade não celíaca

 

Com a moda de retirar o glúten da alimentação, muitas pessoas não sabem mais qual é a diferença de uma pessoa que possui intolerância à proteína e alguém que possui sensibilidade.

 

 

Quem possui a real intolerância ao glúten são as pessoas que têm a doença celíaca, ou seja, seu organismo tem uma reação imunológico contra o glúten ingerido. Por isso, quem é portador desse distúrbio sentirá, principalmente, os seguintes sintomas depois de comer alimentos que possuem essa proteína:

 

  • Inchaço;
  • Dores abdominais;
  • Gases;
  • Fadiga;

 

Entretanto, não é possível fazer um autodiagnóstico dessa doença, é preciso que um médico especializado no assunto avalie os sintomas e peça exames que comprovem a real intolerância. Quem possui essa doença, já nasceu com ela, sendo que ela pode se desenvolver em qualquer idade.

 

Já a sensibilidade ao glúten é algo que tem sido muito estudado nos últimos anos. Para falar a verdade, ainda há uma grande discussão entre os médicos para conseguir chegar a um consenso para diagnosticar isso.

 

Quando uma pessoa, que comprovadamente não possui doença celíaca, reclama de dores e incômodos após consumir alimentos com a proteína do glúten, esse paciente pode receber o diagnóstico de sensibilidade não celíaca. Ou seja, apesar do corpo não agir com anticorpos no alimento ingerido, o organismo ainda sofre para conseguir digeri-la. 

 

A molécula do glúten mudou?

 

Como mencionei, existe uma teoria muito famosa que diz que o glúten faz mal à saúde porque sua estrutura genética foi alterada há algumas décadas. No livro “Barriga de Trigo”, o autor e cardiologista norte-americano, William Davis, afirma que o agrônomo Norman Borlaug foi responsável por fazer diversos cruzamentos em diferentes espécies de trigo. Com isso, o glúten se tornou responsável pelo aumento dos casos de algumas doenças como, por exemplo, pressão alta, colesterol e diabetes.Nesse caso, essa proteína teria realmente se tornado um grande vilão.

 

 

Entretanto, apesar do livro ainda ser um dos mais vendidos sobre o assunto, não existem muitas pesquisas sobre o glúten que comprovem a veracidade dessa teoria.  Afinal, você acredita ou não?

 

Pontos positivos x Pontos negativos

 

Antes de decidir se o glúten é algo bom ou ruim para o seu organismo, é preciso saber quais são os pontos positivos e negativos de possuir uma dieta sem glúten, também conhecida como glúten-free.

 

Pontos positivos

 

1 – Quem possui doença celíaca para de sofrer em uma dieta sem glúten

 

Se você foi ao médico e comprovou que possui uma doença que faz com que o seu organismo se volte contra o glúten, então, mudar sua alimentação para uma dieta sem essa proteína, será uma das melhores mudanças da sua vida. Sem mais dores abdominais, cólicas, inchaço e diarreia.

 

2 – Você diminui a quantidade de alimentos industrializados e calóricos

 

Muitos dos alimentos industrializados possuem glúten na sua composição para aumentar a consistência macia. Além do glúten, esses alimentos, que na maioria dos casos são altamente calóricos, também possuem substâncias que podem prejudicar o organismo.

 

3 – Assim como o excesso de sal e açúcar na alimentação

 

Além disso, ao ter uma dieta glúten-free, você também cortará alimentos que possuem excesso de sal e de açúcar na composição e que, comprovadamente, fazem mal para a saúde.

 

4 – Você irá melhorar a sua saúde (e perder peso)

 

Como já foi citado acima, a maioria dos alimentos que contêm glúten possuem também em sua composição substâncias que podem fazer mal ao organismo como, por exemplo, conservantes, excesso de sal ou de açúcar. Por isso, ao cortar o glúten, comemore também a melhora na saúde e, consequentemente, a perda de peso. Isso pode até não ser o seu objetivo, porém, com todas as mudanças na sua alimentação, é quase impossível não perder peso.

 

 

Pontos negativos:

 

1 – Você pode substituir um mal pelo outro

 

Apesar dos “benefícios” de uma dieta glúten-free, seu corpo pode sentir muita falta dos alimentos com glúten, o que pode te deixar com mais fome ao longo do dia, aumentando o consumo de outros tipos de alimentos que também podem não ser saudáveis e prejudicar ainda mais a sua alimentação.

 

2 – Será mais difícil de identificar se você possui a doença celíaca

 

Para que os exames detectem a doença, é preciso que o seu organismo desenvolva os anticorpos contra o glúten. Se você corta totalmente essa proteína da sua dieta, será muito mais difícil para o exame diagnosticar esse distúrbio no seu corpo.

 

 

 

Quais alimentos que possuem glúten?

 

Como falamos anteriormente, é muito difícil ter uma dieta totalmente sem glúten por ele estar em vários alimentos que consumimos diariamente. Para te ajudar a identificá-los, preparei uma lista com os principais alimentos que possuem glúten:

 

  • Pão;
  • Torrada;
  • Bolacha;
  • Bolo;
  • Cerveja;
  • Pizza;
  • Massas;
  • Alimentos processados (como polpa de fruta, chiclete, refrigerante e outros);
  • Salgadinhos;
  • Hambúrguer;
  • Queijos;
  • Curry em pó;
  • Molhos (ketchup, maionese e shoyo);
  • Cereais;
  • Salsicha;
  • Sorvete;
  • Gérmen de trigo (assim como sêmola de trigo e triguilho);
  • Alguns tipos de remédio;
  • Temperos prontos;
  • Hóstia distribuída na igreja católica
  • Entre outros.

 

É importante saber que o glúten está contido nos alimentos que possuem cereais como o trigo, cevada e o centeio. Por isso, todos os alimentos que possuem estes cereais em sua composição, mesmo que a mínima quantidade, terão glúten também.

 

Apesar de toda essa discussão, a melhor forma de saber se você deve ou não retirar o glúten da sua alimentação é consultar um médico especialista no assunto. Lembre-se que qualquer mudança na sua dieta irá influenciar diretamente no seu organismo, por isso, não se deixe influenciar por notícias que podem ser enganosas. Nesse caso, seu médico será o seu melhor amigo.

 

Clarice Abreu

Sobre a Drª. Clarice Abreu

Sou médica especialista em Cirurgia Plástica e Cirurgia Craniomaxilofacial, com formação nacional e internacional em Cirurgia Plástica Estética e Reparadora e em Cirurgia Plástica e Craniofacial Pediátrica. Estou comprometida com um atendimento diferenciado e humanizado, respeitando a individualidade de cada paciente e valorizando seus aspectos psicológicos, suas motivações e expectativas pessoais.