Início » Blog » Reclamar faz mal?

Reclamar faz mal?

Quem nunca reclamou de ter que acordar cedo? Ou de estar muito frio, calor demais, ou chovendo? Quem nunca se sentiu mais “aconchegado” após reclamar junto com os colegas de trabalho sobre o chefe, ou sobre as atividades diárias? Ou até mesmo riu de ouvir reclamações engraçadas, comentários maldosos sobre colegas, etc?

 

 

A reclamação já faz parte do dia a dia de muitas pessoas. É capaz de ser até mesmo parte da rotina, algo a mais para fazer ao longo da jornada da vida.  Mas será mesmo que aquela reclamaçãozinha é necessária? Será que ela realmente te traz alívio, como uma espécie de desabafo? 

 

Veja também: Quais são os benefícios do café?

No post de hoje te contaremos as 6 perguntas que você deve fazer a si mesmo antes de reclamar! Continue lendo para descobrir!

 

O que acontece quando reclamamos?

 

A ciência explica: reclamar altera a estrutura do cérebro e o deixa ainda mais propenso a criar novos pensamentos negativos, de acordo com o cientista Steve Parton.

 

 

Isso porque as informações passam de um neurônio para o outro através de sinapses. A fenda sináptica é que separa essas sinapses, e toda vez que um pensamento ocorre, a sinapse solta uma substância química através de uma ponte. Isso vai formando um círculo vicioso, diz Parton, e quantos mais pensamentos ruins e negativos você tiver, mais fácil será para a mente transportá-los.

 

Por que gostamos tanto de reclamar?

 

Como é algo tão comum no nosso cotidiano, reclamar se tornou um hábito, como escovar os dentes, por exemplo. É só mais uma tarefa para executar no dia a dia, e por isso é tão difícil se desvencilhar dele.

Faça um teste: toda vez que você reclamar, deposite uma moeda em um pote. No final do dia, talvez você tenha esgotado suas moedas! Isto serve de alerta para nós percebemos quantas reclamações saem pela nossa boca em um único dia, e como isso nos causará mal.

 

Ouvir reclamações também é prejudicial?

Quantas vezes você já se sentiu pesado, triste, desanimado e até mesmo exausto depois de ouvir um colega ou familiar despejar inúmeras reclamações em cima de você e de seus ouvidos? Isso acontece por causa da compaixão/empatia. Nos importamos com as pessoas ao nosso redor e acabamos nos colocando no lugar delas – se elas estão reclamando, você entra na mesma frequência e acaba tendo pensamentos negativos e cheios de frustração.

Todas as pessoas reclamam, algumas mais do que as outras, por isso é difícil se afastar delas. Uma dica válida é tentar ajudá-las a ver o lado positivo das coisas, e alertá-las que reclamar só torna as coisas piores.

 

            Leia também: Tudo sobre a síndrome de Apert

 

Infelizmente, não é tão fácil, e algumas pessoas estão tão para baixo que é praticamente impossível ficar perto delas sem se sentir exausto e nervoso. Às vezes, essas pessoas realmente precisam de ajuda e precisamos estar por perto quando elas reclamam. Em outros casos, no entanto, o excesso de reclamação desta companhia pode ser apenas um “vício”, uma “mania”, e talvez seja adequado você buscar contrabalançar se cercando de pessoas mais positivas, que tendem a ver o lado bom da vida.

Não existe uma pessoa que esteja 100% feliz, mas saber tirar proveito de cada ensinamento é o que faz diferença entre reclamar por algo ainda não ter acontecido ou agradecer pelo que já aconteceu.

 

Será que sou um reclamante crônico?

 

 

Pode acontecer, também, de você ser a pessoa que deixa todos para baixo, ansiosos e até mesmo sugados após falarem com você! Se esse for o caso, preste atenção no próximo tópico e perceba como as reclamações podem nos deixar doentes.

 

O corpo fica doente quando reclamamos?

 

Sim. Reclamar excessivamente aumenta a raiva e os sentimentos negativos, e isso libera o cortisol – também conhecido como hormônio do estresse.

O nível elevado desse hormônio deixa o corpo mais propenso a desenvolver sérias doenças, como depressão, diabetes, doenças cardíacas, problemas de aprendizagem e até mesmo de memória. Isso porque em grandes quantidades, o cortisol aumenta a pressão arterial e o colesterol.

Por isso, é muito importante prestar atenção nas reclamações diárias, que pensamos não ter relevância, como reclamar do tempo, de acordar cedo, de ter que ir trabalhar, etc. Monitore-se e ajude as pessoas ao seu redor a fazer o mesmo!

 

O que fazer para não reclamar tanto assim?

 

Antes de reclamar sobre qualquer coisa banal, reflita: isso é realmente necessário? Eu farei bem para alguém ou a mim mesmo se falar essa frase cheia de negatividade? Depois disso, respire fundo diversas vezes, até essa “necessidade” de verbalizar a reclamação ir embora.

Algo que pode ajudar são exercícios físicos ou atividades relaxantes, que foquem no bem-estar da mente e do corpo, como meditação, yoga, pilates, caminhadas, etc,

 

Leia também: Como melhorar sua autoestima em 12 passos

 

Com certeza seu dia ficará mais leve e sua mente ficará mais repleta de pensamentos positivos! 

Quando sentir a vontade de reclamar, respire fundo e lembre-se que a positividade é uma ferramenta para uma vida cheia de coisas boas, saúde e bem-estar!

Gostou desse post? Não se esqueça de se inscrever em nossa newsletter para receber em primeira mão as novidades!

 

Clarice Abreu

Sobre a Drª. Clarice Abreu

Sou médica especialista em Cirurgia Plástica e Cirurgia Craniomaxilofacial, com formação nacional e internacional em Cirurgia Plástica Estética e Reparadora e em Cirurgia Plástica e Craniofacial Pediátrica. Estou comprometida com um atendimento diferenciado e humanizado, respeitando a individualidade de cada paciente e valorizando seus aspectos psicológicos, suas motivações e expectativas pessoais.