Início » Blog » Não gostei da minha cirurgia. E agora?

Não gostei da minha cirurgia. E agora?

Não tem como negar: fazer uma cirurgia plástica, ou qualquer outro tipo de cirurgia, é um ato de coragem.

Coragem de consertar algo que está te fazendo mal, de mudar a fim de melhorar a autoestima, mas também coragem de investir tempo, dinheiro e de deixar parte do seu corpo nas mãos de outra pessoa.

Isso é ainda pior quando criamos grandes expectativas e esperamos resultados perfeitos, algo que nem sempre pode acontecer.

Ter esses receios é totalmente normal e também é uma forma de se proteger de profissionais despreparados, pois isso faz com você busque o máximo de informações possíveis para evitar frustrações futuras (como você está fazendo agora ao ler esse artigo).

Ou seja, é sempre bom ter em mente que nem tudo pode ocorrer como o sonhado, e não estou falando dos riscos durante a cirurgia, mas sim com o resultado final.

Afinal, diversos fatores, até mesmo externos ao procedimento (por exemplo, cicatrização e reação aos medicamentos utilizados na cirurgia e no pós-operatório), podem influenciar no resultado.

Por isso, hoje vou listar que tudo que você precisa saber caso não goste da sua cirurgia plástica!

Por que você não gostou?

Quando uma cirurgia plástica não tem o resultado esperado, pode ser por dois motivos distintos (mas que também podem acontecer concomitantemente): você não gostou da estética final ou a cirurgia prejudicou o funcionamento da área operada.

Para você entender melhor a diferença entre eles, vou te contar uma caso da vida real! Você conhece a youtuber Evelyn Regly? Ela passou por essas duas situações e relatou tudo em seu canal.

Em 2015, ela decidiu fazer uma rinoplastia para consertar a parte estética de seu nariz, porém o resultado não foi o que ela esperava e, por isso, Evelyn conversou com seu médico e decidiu fazer uma cirurgia de retoque para fazer os aperfeiçoamentos que faltaram na primeira cirurgia.

Entretanto, a cirurgia de retoque transformou-se em um pesadelo quando, devido a um erro médico, percebeu que o seu nariz tinha ficado deformado, prejudicando até mesmo a sua respiração, visto que uma narina ficou obstruída e muito menor do que a outra.

Ainda nessa mesma cirurgia, a youtuber também realizou uma mastopexia com prótese de silicone que também não deu certo.

A consequência desses erros médicos? Evelyn precisou realizar uma terceira rinoplastia para consertar não apenas o estético, mas também a parte funcional de seu nariz, que, felizmente, dessa vez foi um sucesso.

Agora, imagine passar uma situação parecida com a da youtuber (por exemplo, não gostar do resultado devido à estética ou por um erro médico)? Nesse caso, você sabe qual é a melhor atitude a ser tomada? Busque seus direitos!

Não gostei da minha cirurgia. Mas o que eu faço?

Devido ao contrato de prestação de serviços realizado antes da cirurgia, o médico responsável tem a obrigação de entregar o resultado acordado, mas preste atenção: a perfeição não é uma obrigatoriedade.

Porém, não entregar aquilo que foi combinado é ferir os direitos do paciente. Por isso, cada um desses motivos exigem condutas diferentes, então, fique atento:

Retoque para aperfeiçoamento

Esse tipo de cirurgia é realizada para “consertar” pequenas insatisfações com o procedimento anterior como, por exemplo, esconder uma cicatriz ou melhorar ainda mais a aparência.

Apesar de ser uma opção negociar com o cirurgião responsável sobre os custos desse novo procedimento, de acordo com o site Jusbrasil, por lei o paciente é o único responsável pelos valores a serem desembolsados no retoque de aperfeiçoamento, visto que o fim dessa cirurgia é apenas estético, não uma necessidade.

Erro médico

Entretanto, a situação muda totalmente quando o motivo da nova cirurgia é por erro médico.

Nesse caso, é direito do paciente/cliente que o médico responsável corrija o que não foi feito como o combinado. Afinal, apesar do cirurgião não ser obrigado a entregar a perfeição, é dever dele realizar o que foi acordado durante as consultas pré-operatórias.

Em casos que o erro médico trouxe graves sequelas para o paciente, ainda há a possibilidade do cirurgião ter que arcar não apenas com os custos do retoque, mas também com os dados morais que foram causados pelo procedimento.

Como se preparar para uma cirurgia?

O caso de Evelyn Regly foi uma exceção, visto que a maioria dos cirurgiões plásticos prezam pelo melhor para seu paciente e tentam atingir o máximo de excelência possível durante a cirurgia. Porém, para isso é preciso ter um cirurgião que tenha essa visão como propósito.

Ou seja, a melhor forma de diminuir as chances de não passar por grandes frustrações no futuro é buscar o máximo de informações o possível para fugir de profissionais picaretas.

Por isso, pesquise sobre cirurgiões que realizem o tipo de procedimento necessário, faça diversos orçamentos e busque por opiniões diferentes.

Antes de se consultar, anote todas as dúvidas que você tiver sobre a cirurgia, veja o portfólio de cada cirurgião, confirme que ele pertence à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e coloque no contrato de prestação de serviço tudo que possa te dar respaldo no caso de um erro médico.

Para evitar frustrações porque, esteticamente, o resultado não ficou como você imaginava, trabalhe as suas expectativas sobre o procedimento. Lembre-se que o seu rosto e sua beleza são únicas!

Então, não é porque o nariz de uma atriz famosa é lindo nela, que será lindo em você. Busque inspirações que harmonizem com o seu rosto, algo que um cirurgião plástico de qualidade saberá observar e orientar.

Fazer uma cirurgia plástica é um ato de coragem, mas não deve ser algo que te trará angústia e sofrimento.

Por isso, caso ainda tenha incertezas sobre esse assunto, você pode mandar um email para o contato@clariceabreu.com.br ou ligar para o (21) 3251-4264 e agendar uma consulta, assim podemos conversar sobre tudo que isso que foi abordado no meu artigo.

Afinal, um médico de qualidade deve ser um dos confidentes do seu paciente, assim, estou aqui ao seu dispor para falar sobre suas inseguranças, tirar dúvidas, orientar sobre harmonizações e oferecer a melhor experiência possível para a sua cirurgia plástica.

Vamos conversar?

Clarice Abreu

Sobre a Drª. Clarice Abreu

Sou médica especialista em Cirurgia Plástica e Cirurgia Craniomaxilofacial, com formação nacional e internacional em Cirurgia Plástica Estética e Reparadora e em Cirurgia Plástica e Craniofacial Pediátrica. Estou comprometida com um atendimento diferenciado e humanizado, respeitando a individualidade de cada paciente e valorizando seus aspectos psicológicos, suas motivações e expectativas pessoais.