Início » Blog » Cicatriz: 7 dicas de como lidar com a sua

Cicatriz: 7 dicas de como lidar com a sua

Há muitas expectativas quando o assunto é a cirurgia plástica. Além de melhorar as partes do corpo onde foi feito o procedimento, também esperamos ótimos resultados, sem cicatriz.

Mas a cicatriz não se forma somente após procedimentos de cirurgia plástica. Ela também surge quando a pele sofre algum tipo de lesão, como machucados, queimaduras, acne severa, acidentes, e obviamente em outros tipos de cirurgias, como a cesariana.

Recentemente, fiz um vídeo sobre cicatrizes no meu canal do YouTube, se você quiser saber aspectos mais técnicos.

 

 

Lembre-se: Cada corpo funciona de uma maneira! Em muitos casos, a cicatriz que se forma na sua amiga pode não se formar em você.

Por isso, a dica mais importante é não comparar o seu corpo ao de ninguém. Se a cicatriz que você possui te incomoda bastante, hoje te daremos dicas de como amenizá-la, para que você possa voltar a se sentir confiante e com ótima auto estima!

Quelóide x Cicatriz hipertrófica

Embora muitas pessoas pensem que são a mesma, esses dois tipos de cicatrizes têm suas particularidades e ambas ocorrem quando a pele não cicatrizou de forma correta.

É importante reconhecer cada um, pois isso irá determinar o tratamento necessário para terem seu aspecto melhorado. A quelóide é mais grave, quando há o crescimento em excesso de tecido no ferimento, ultrapassando seu espaço inicial e podendo evoluir conforme o tempo.

Infelizmente, não há como preveni-la, pois ela vem de uma predisposição genética.

Já a cicatriz hipertrófica normalmente se forma exatamente onde ocorreu o corte, podendo regredir com os cuidados corretos e também com o tempo. Ela apresenta coloração avermelhada, por isso costuma ser confundida com a quelóide.

Contratura

Forma-se geralmente quando há alguma queimadura envolvida. Às vezes, dependendo da gravidade, pode lesionar o movimento cutâneo, afetando músculos e nervos.

Cicatrizes de infância

Normalmente mais difíceis de serem removidas, as cicatrizes antigas normalmente não doem, não apresentam coloração avermelhada e têm aspecto de  mais “resistentes”.

Agora que você descobriu um pouco mais sobre as cicatrizes, vamos ver as 7 formas diferentes de lidar com a cicatriz.

1. Entenda que é perfeitamente normal

Não há razão para desespero! As cicatrizes se formam para proteger nossa pele de possíveis infecções e bactérias. Elas são as provas de que estamos vivos e saudáveis. É claro que há diferentes tipos, e às vezes ficamos muito incomodados – mas para tudo há solução!

 

2. Cuidados no pós-operatório

Para evitar cicatrizes aparentes, é necessário tomar cuidados importantes no pós-operatório. Siga à risca todas as instruções do seu médico, antes de mais nada. Utilize as pomadas que o mesmo te recomendou – isso fará uma grande diferença.

Se você fez alguma cirurgia, evite tomar sol por 30 dias. Após esse período, converse com seu médico para saber se você já pode se bronzear e jamais se esqueça do protetor solar – nunca abaixo de FPS (Fator de Proteção Solar) 30, viu?

 

Leia também: Não gostei da minha cirurgia, e agora?

 

A má cicatrização pode ocorrer se o paciente for mais velho, fumar, não se alimentar corretamente e/ou se tiver alguma infecção no pós operatório.

 

3. A massagem pode melhorar seu aspecto

A massagem, além de relaxar os músculos e remover células mortas, estimula a circulação. Essa técnica é uma ótima forma de melhorar o aspecto de cicatrizes antigas, e você pode fazer em casa mesmo.

Aplique um óleo de sua escolha – opte por aqueles mais espessos, para a pele não absorver tão rápido – na cicatriz e massageie com movimentos circulares, de baixo para cima. Quanto maior for a cicatriz, mais tempo você deverá investir nela.

 

4. Opções naturais também são válidas

Quanto mais “jovem” a cicatriz, melhor ela vai responder aos tratamentos, principalmente se forem opções naturais. A aloe vera é excelente para desinflamar, e devolver a elasticidade natural da pele, assim como a manteiga de cacau.

 

O azeite de oliva limpa a pele e elimina células mortas. Mas atenção – deve ser usado um de boa qualidade e extravirgem. Ideal para massagens!

O bicarbonato de sódio também é uma boa opção para clarear uma cicatriz. Recomenda-se utilizar duas vezes por semana, diluído em água. Deixe-o na consistência de uma pasta, coloque-o na pele e deixe agir por alguns minutos. Remova-o e lave bem o local após.  

Atenção: Não utilize vários tratamentos de uma vez só. Isso pode irritar a pele e causar o efeito contrário, piorando o aspecto da cicatriz.

 

5. Tatuagem

As tatuagens estão entre as opções mais buscadas quando se trata de disfarçar cicatrizes. Sejam elas por causa de outras cirurgias mais sérias, como a mastectomia, até as mais corriqueiras, como a cesariana.

Além de deixar algo bonito no corpo, as tatuagens passam uma mensagem de superação também! Se sua cicatriz é algo que te incomoda muito, pense nessa opção!

 

6. Tratamentos estéticos

O laser ajuda a melhorar muito o aspecto da cicatriz, principalmente se houver bastante vermelhidão e inchaço.

Outras alternativas, como peelings e microagulhamento são recomendáveis. Esses tratamentos, entretanto, se mostram mais eficazes em cicatrizes que são recentes, já que o colágeno é mais maleável.

O microagulhamento não é indicado no caso de queloides e vitiligo, pois há o risco de piorar a aparência das cicatrizes. Por isso é tão importante procurar profissionais competentes antes de se submeter a qualquer procedimento.

 

7. Cirurgia plástica também é opção

Se a cicatriz te incomoda muito, é profunda e espessa, e não desaparece depois de todas essas dicas que demos, é interessante investir em uma cirurgia plástica.

O profissional irá fazer um corte na cicatriz, remover as fibras aderentes, de modo que a deixe com um aspecto melhor. Nesse caso, a sutura é feita por debaixo da pele, com fios absorvíveis ou de nylon.

 

Ficou com dúvida sobre algum procedimento? Clique aqui e confira o vídeo no meu canal em que falo sobre Cicatrizes!

Clarice Abreu

Sobre a Drª. Clarice Abreu

Sou médica especialista em Cirurgia Plástica e Cirurgia Craniomaxilofacial, com formação nacional e internacional em Cirurgia Plástica Estética e Reparadora e em Cirurgia Plástica e Craniofacial Pediátrica. Estou comprometida com um atendimento diferenciado e humanizado, respeitando a individualidade de cada paciente e valorizando seus aspectos psicológicos, suas motivações e expectativas pessoais.